Imensidão

O amor não me diz o que fazer
Enquanto essa solidão em mim não quer calar
Na imensidão do vácuo, refazer
No olhar do acaso te lembrar

Nem sei se quero ou posso te esquecer
Enquanto esse vazio em mim vir habitar
Em palavras cruzadas minha mente se perder
Ou noutros lábios os meus querer pousar

Entre as chamas meu coração vir arder
Meus pretextos detonados nesse mar
Quem lembrarás de não se esquecer
Navegando, nessas ondas me afogar

Enquanto o som se distrai a envilecer
Na multidão, memorável destacar
Sem intenção, meus anseios preceder
Intensamente, meus desejos vir falhar

Primeiro post do blog

Este é o seu primeiro post. Clique no link Editar para modificar ou excluir, ou então comece um novo post. Se preferir, use este post para informar aos leitores o motivo pelo qual você iniciou este blog e o que planeja fazer com ele. Se precisar de ajuda, fale com os usuários simpáticos nos fóruns de suporte.